segunda-feira, 14 de maio de 2012

Duzentos e um

E daí teve este sábado, que tinha tudo para ser bem gostoso.
E foi, só que não.

Nina, a resgatada, foi para a casa nova de manhã.
A gte sempre sabe se a pessoa é do bem ou não...Claro, sempre dá para se enganar, mas no fundo a gte sabe.
E no geral, dou muita sorte com os "donos" que encontro para os nossos resgatados.

Essa foi uma dessas.
Me apareceu aqui, levou a cadela e me encheu de presente.
Cês tem noção da fofura?

Uma sacola cheia de cosméticos, uma toalha bordada e um envelope com-duzentos-reais...
Duzentos reais que cobrem todos os gastos que tivemos...

NUNCA ninguém foi tão carinhosa conosco ao adotar um dos bichos que resgatamos (apesar de ninguém ter a obrigação de fazer).

Mais que o benefício dos presentes em si, o carinho ajudou a ter certeza de que era ela a pessoa certa.

E nesse clima ameno, de missão cumprida, transcorreu o dia.

Mas eu te pergunto...Acabou ameno?
Claro que não.

(Eu bem devia ter desconfiado)

Fim de tarde Leléco, o resgatado fujão,chegou de um de seus passeios com um convidado...Um cachorrinho branco super dócil.
No início não dei muita bola para o assunto.
Não é a primeira vez que acontece isso e tenho tentado pensar que o "visitante" tem dono...Afinal, é muito mais fácil um abandonado (ou perdido) arranjar problemas que um desses safos que escapam de casa apenas para uma volta...
Esses estão acostumados a sair, os abandonados não.
E,apesar de óbviamente todos precisarem de ajuda, os que não estão habituados a morar na rua (ou a estar lá) sempre precisam de ajuda mais urgente.

Não sabem arrumar comida, não sabem andar na rua...estão mais sujeitos a atropelamentos, maus tratos, e qquer doença oportunista...Pois se tinham casa, a própria depressão do abandono é um fator que já os deixa sujeitos a ficarem doentes...enfins.

Qdo me dei conta vi que esse era um desses.Um perdido/abandonado.

Mas não dava para enfiar MAIS UM aqui. Estou com CINCO cachorros.
SEMPRE acabamos abrindo as portas, pq o coração arde de vê-los na rua...
Mas isso vai acabar nos custando a casa, pois os vizinhos já perceberam a ZONA que é isso aqui, esse entra e sai de cachorros diferentes...
Hum hum...Senta ali, Claúdia!
Relutei (até ver o peso bem baixo do bichinho) inclusive em dar comida, pois achava que ele ia acabar não saindo daqui e ...enfim, deu para entender que estou evitando problemas na minha vizinhança sempre tão amistosa.
(ironia)

Além disso, Leléco não estava sendo exatamente muito amigo dele...

Mas acabei dando água e comida, claro.
era o mínimo que eu poderia fazer por ele, que quando o Leléco entrou entrou, quis entrar tb (insistindo, inclusive), como se fosse a coisa mais natural do mundo...

Coração sangra nessa hra.
desc, mas não tem termo melhor.

Fiz só o que poderia ter feito.
Deixei ele lá no portão com sua comidinha, e corri para o face para ver se algum protetor me ajudava a tirá-lo daqui.

E de certa forma consegui.
Mas qdo fui ver, era muito tarde, ele tinha sumido.

E fica na nossa mente a carinha de triste dele, insistindo para entrar, lambendo nossa mão.

Claro que isso ACABOU com nosso dia.
E tudo o que restou daquele clima ameno foram nossos olhares tristes uma para a outra...Sem dizer nada, mas compreendendo tudo.

Poucas coisas compartilhamos...A causa animal é sem dúvida a mais importante delas...

Sabe, eu REALMENTE adoraria saber que porra de lição querem que eu aprenda!!!!

Pq sabe, isso aparecer no MESMO dia em que realizamos a doação da Nina...Inacreditável.
Parece que é para esfregar na minha cara que realmente, o que faço não significa MERDA nenhuma...Que para cada um que tem seu Happy end, tem 15 passando fome por aí.
No mínimo.

Eu sei disso, mesmo que eles não batam em meu portão pedindo comida, eu sei, nós sabemos.

A questão é...Pq não podemos ter UM DIA DE PAZ.
Apenas um, e eu juro que entenderia.
Mas não...Nos salvamos de uma onda e vem outra...

A sensação é exatamente essa, não há drama.

Fizemos o que manda o bom senso...Assumimos a dor, mas fizemos o que manda o bom senso...E ouso dizer que pela primeira vez.

Sabia que cedo ou tarde teríamos que fazer isso...
A questão é que não ficou claro se isso é o certo!

Pq, sabe...O cão literalmente aparecer na minha porta...Te faz pensar que não foi à toa.

O que não fica claro é...O que cargas d'água é para a gente aprender...

É para manter a humildade?
Mas nunca achei que estava fazendo muito!

É para aprender a fechar a porta na marra?
Legal

Mas a questão é... É justo?

Não, não é...
E se não é justo para mim, imagina para os bichos!

Além do mais, ninguém disse que seria fácil e justo.

Mas tvz ainda acredite nisso...
Talvez ainda esteja procurando a bonança depois da tempestade...

Talvez simplesmente não haja merda de bonança nenhuma no mundo.

Talvez viver seja isso mesmo, tentar sair de uma onda para dar de cara com outra...

É isso.

Besitos


Um comentário:

Amor de duas disse...

Vida de protetor é exatamente assim...parece que a missão não acaba nunca. Mas tbm a crueldade humana não tem limites e nossos "irmãos menores" são os primeiros a pagar por essa sociedade doente. Tenho hj 9 animais (entre cães e gatos) mas já tive 22.
Sei muito bem como se sente agora. Mas aquiete-se, a gente faz o possível e o impossível...mais q isso não tem jeito.
Beijos e uma semana de paz!