domingo, 31 de julho de 2011

Cento e vinte e seis

 
"Evitemos a morte em doses suaves,
Recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior do que o
Simples ato de respirar.
Estejamos vivos, então!"
Pablo Neruda






  Neste momento é preciso mais que respirar, amor, que é só o que fizemos por tanto tempo...Respirar apenas, sobreviver...
É preciso fazer um esforço maior...
Espremer o cotidiano até que surjam oportunidades de prazer...Aqueles momentinhos que fazem até as coisas chatas valer à pena.

Relevar as coisas que não valem discussão...
Esse é o esforço supremo...Rá!
Relevar pq passamos este tempo todos perdendo tempo, amor, saúde e paciência com coisas que olha... Peloamor, né?

E acima de tudo... Precisamos conversar.
Conversar sobre as coisas doloridas.
Sobre as mágoas que alfinetam de repente o peito, durante um banho, durante um jantar ou durante a novela.
É FUNDAMENTAL que isso seja ouvido, mais até que conversado.
É preciso se tenha ao menos conhecimento do que se passa na mente da outra, ou, sem saber o que fazer, vamos patinar, patinar, sem sair do lugar.

Percebo você fechada, sem paciência para todo este blábláblá.

Natural.

Tenho TENTADO evitar Drs... Ás vezes dá uma sufocada monstra e deixo escapar mais do que devo.

Mas não posso deixar de me sentir frustrada...

Você sabe, e não sou eu que estou dizendo, que guardar isso só vai nos afastar.
Você sabe, e não sou eu que estou dizendo,que a terapia não é só nas quartas, continua em nosso cotidiano.

Não adianta só eu querer conversar...
Não sei, ás vezes, como olhar para você e perguntar "E aí, o que você tem pensado sobre isso tudo?".


Como disse naquele dia, não me sinto no direito de sofrer, de puxar conversa sobre "como me sinto", e quando puxo, vejo você totalmente fechada.

Vejo você "cheia de si", numa vibe total "posso tudo e vc não pode nada"...
Ainda que você aparentemente não coloque em prática, machuca.
Quanto a mim, não posso falar nada, me sentir insegura, ter ciúmes, reclamar das besteirinhas que você fala sobre outras... 
Nada.
De repente não sou insegura mais.

E AINDA vejo você achando que eu (ou a psicóloga) vou resolver tudo sozinha.

Pq escolheu tentar?
Pq escolheu apostar no que você sente?
Pq?

Não entendo.

Novamente você vai pensar que é muito fácil para mim, novamente você vai pensar que estou exagerando...

Mas faça uma auto análise pequenininha...
Tente olhar por baixo dessa  tranquilidade (FALSA)...É lá que estão os problemas, é lá que está a dor (minha e sua), é lá que está o que precisamos encarar para seguir em frente.

Não quero brigar, não quero uma Dr eterna.
Mas tenho certeza que você não está tão calma e serena como aparenta, ou não seria tão fechada...Não estouraria falando cobras e lagartos de vez em quando... Não diria que "é melhor esperar"  um pouquinho quando lhe propus um casamento civil, de verdade.

E não diga que é pq não tem grana para festa, não diga que é pq não tem grana para aliança, não diga que é pq o papel não via mudar nada.

Pq você disse isso por outra questão.

Sei que o mundo é imprevisível, que tudo pode acontecer com o relacionamento de qquer pessoa.

Vc diz que me  ama "Senão eu nem estaria ali"...
Isso não quer dizer muita coisa, mas me guiei por esse pensamento, apesar de haver sempre um tom de incerteza qdo isso é dito.
E agora você diz que prefere esperar...

E além de tudo você sempre fechada para mim, eu sempre olhando para você e vendo uma enorme incógnita em seus rosto...

(Para quem pensar que estou pondo o carro na frente dos bois, isso-o casamento- de qquer modo seria daqui há uns tempos)

Me sinto testada, culpada, na corda bamba...

Sei que sente que não vale à pena tanto esforço por mim, mas se é assim, pq escolheu tentar?

O tempo TODO estou preparando meu coração para o pior.
Pq sei que você escolheu me aceitar de volta no calor do momento.

O tempo todo não te disse que você ia acabar descobrindo que não me amava mais?

Well...Ainda acho.
Vou continuar me esforçando.
Vou continuar insistindo na terapia, ainda que eu ache que só ir lá não adianta de NADA.

Mas vou continuar me preparando para o pior.

Você vai achar que é drama, que é exagero, que não é bem assim...
Mas eu não posso falar sobre nada com ninguém, as coisas me sufocam e sufocada assim nem sei o que acabo fazendo...
Sou uma só.
Não posso fazer tudo sozinha.

Aqui ainda  sou insegura...
Ao menos aqui, ainda me permito sentir dor.

E por favor, nem comente sobre este post idiota comigo.

2 comentários:

Anônimo disse...

Que belo início de texto, do Neruda! Não basta respirar, tem que viver, mexer, levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima..kkkk!
Menina, que complicado a vida assim, hein? Mas, como a alma não é pequena, então vale a pena. Estava cá com meus botões....eu, no seu lugar acho que já tava na casa de mamãe chorando..rsrs. Sabe o que bateu na cabeça? O famoso = pausa = dar um tempo = ? Isso existe pra ser usado, é não? E fazer isso não quer dizer FIM, ponto final, etc...o próprio nome diz...P A U S A. Respirar, esfriar a cabeça, perceber, valorizar, botar os sentimentos em ordem. Não disseram que pra gente enxergar melhor a situação, é ficar distante? Inclusive pra ficar e voltar melhor. Vixii..deixa eu parar por aqui, senão já viu...não paro mais...rs.
Gosto muito do seus textos e suas reflexões, viu?

beijos
Barbara R.

disse...

Oie, Bárbara...
Então..Complicado é, mas sei lá.

Sou (somos,acho) meio neuróticas...Meio passionais.

Eu disse, e a moça concordou, que um tempo só iria nos afastar.

Sempre fui muito orgulhosa (defeito péssimo) em todo o namoro...Nunca corri atrás.
E acho que esse foi o momento de estar lá, de mostrar que quero mudar, ser menos orgulhosa, provar que REALMENTE quero, sabe?

Estar no conforto da minha mãe, sem ouvir merda, fazendo o mais cômodo, não iria preencher esta lacuna.

É por isso que escolhi o caminho das pedras.

Não é fácil sempre, mas ainda acho que é o melhor caminho.

Obrigada pela opinião! E pelo elogio... Não sei se escrevo bem (para não dizer coisa pior), mas estes textos tem sido fundamentais para organizar minhas idéias quando estou fervilhando.

Para não "estourar" e "vomitar" tudo nela.

Além do que, ela lê, e é um meio (torto, é verdade) de dizer o que sinto.

De qquer forma sou melhor escrevendo que falando)...rs

Abraço.Fê